ESPM oferece curso de Graduação em RI

A ESPM está disponibilizando para os estudantes de graduação em relações internacionais duas trilhas de especialização: em Relações com Investidores e em Relações Governamentais.

O Prof. Rodrigo Cintra, diretor de Internacionalização e responsável pela coordenação do curso de Graduação em Relações Internacionais da ESPM, observa que o curso procura formar “Diplomatas Corporativos”, com disciplinas voltadas para humanidades, marketing, pesquisa, economia, finanças, gestão e principalmente negócios.

O Prof. Fabiano Rodrigues, líder da área de conhecimento de gestão da ESPM, afirma que nos primeiros anos do cur- so, o aluno vai se preparando para escolher uma opção de “minor” (trilha de especialização) em Relações com Investidores ou Relações Governamentais. Nos semestres ini- ciais, os estudantes têm disciplinas em inglês – cerca de 40% do curso é composto por disciplinas ministradas no idioma. A fluência em diferentes idiomas facilita na atuação do profissional no relacionamento com o mercado de capitais internacional, observa Rodrigues. Na área de finanças, gestão e operações, há disciplinas como: modela- gem quantitativa para negócios, estatística, contabilidade empresarial, dinâmica do mercado financeiro e finanças corporativas  internacionais.

O Prof. Fernando Ribeiro ministra a disciplina “Corporate Planning & Execution”, no sexto semestre, com análise de modelos de gestão e riscos. Fernando Ribeiro destaca que o IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) tem colaborado como  referência  para  os  estudantes  com os Guias Rápidos de RI, além de indicações bibliográficas. Na disciplina são avaliadas as variáveis que impactam nos modelos de negócios, Governança Corporativa, ativismo de investidores, indicadores financeiros, monitoramento de estratégias e novos passos, além de apontar para a necessidade de mitigação de riscos.

No sexto semestre, dentro da trilha de especialização em Relações com Investidores, o Prof. Rodrigo Figueiredo Mello ministra aulas sobre “Brasil: Ambiente de Negócios”, de forma que o estudante possa compreender o país, considerando-se três pilares: cultura e sociedade; política e economia; e ambiente legal/regulatório. Em períodos mais desafiadores como o atual, os profissionais de Relações com Investidores precisam estar preparados para responder aos constantes questionamentos dos investi- dores sobre questões políticas e econômicas, obstáculos e oportunidades de se fazer negócios no Brasil, declara Rodrigo Mello.

PARCERIA

O estudante no sétimo semestre coloca em prática os ensinamentos dos semestres anteriores – com disciplinas que o preparam para a “minor” (trilha de especialização) de Relações com Investidores – para compreender os aspectos relevantes de avaliação dos diferentes investidores. Faz apresentações dos resultados financeiros e utiliza argumentações e linguagem de acordo com a audiência.

Para colaborar na banca de avaliação, a consultoria Brunswick Group firmou parceria com a ESPM. Tereza Kaneta, diretora da Brunswick e membro do IBRI, diz que a parceria ocorreu após ter observado o crescimento na de- manda por profissionais de Relações Internacionais para trabalhar na área de Relações com Investidores em instituções financeiras e companhias abertas. O IBRI deve conceder isenção de uma anuidade para os alunos do grupo que receber as melhores notas.

No sétimo semestre do curso, o foco é no “Investor Relation: a pragmatic approach”, quando os estudantes realizam atividades simulando apresentações para analistas de valores mobiliários e profissionais de investimento.

Os estudantes se preocuparam em construir as premissas necessárias para apresentar um projeto inteligente, com números que, em ordem de grandeza, não fogem do que estimamos na Marisa. Estou realmente muito satisfeito.

Francisco Bianchi,

Marisa Lojas S.A.

Fonte: IBRI Notícias/Revista RI. Maio de 2016. Instituto Brasileiro de Relações com Investidores. www.ibri.com.br