Intercâmbio ajuda na carreira e no desenvolvimento de habilidades

Edição do dia 14/12/2015

14/12/2015 11h36 – Atualizado em 14/12/2015 15h27

Conheça quatro jovens que já fizeram intercâmbio.
Saiba como essa experiência conta na hora de conseguir um emprego.

Sala de Emprego desta segunda-feira (14) fala sobre o sonho dos estudantes brasileiros de trabalhar e morar fora do país. Eles querem construir uma carreira e desenvolver habilidades. Conheça quatro jovens que já fizeram intercâmbio e saiba como essa experiência conta na hora de conseguir um emprego.

Alexia Pinheiro Cabral, Esther Fuentes e Julie Damame fazem faculdade de relações internacionais. Thais Buchipiguel cursa administração. Rodrigo Cintra é diretor de internacionalização da ESPM, faculdade que elas estudam.

“Aqui, a gente tem 50% dos alunos que acabam se envolvendo em intercâmbio ou de curta ou de longa duração, pelo menos uma semana fora eles acabam passando. É mais do que uma busca de emprego, é uma busca de carreira. A forma que a gente tem de pensar o mundo não dá pra ter uma experiência só nacional. A partir de um determinado nível dentro das empresas, você precisa efetivamente viver com outras culturas e com outros tipos de demanda”, relata Rodrigo.

Mais brasileiros estão dispostos a deixar o Brasil para abraçar uma oportunidade de trabalho no exterior. De acordo com pesquisa da Catho, o percentual de profissionais que aceitariam uma vaga no exterior passou de 75,9% em 2014 para 79,2% neste ano.

Segundo as estudantes, não adianta fazer aquele intercâmbio de escola do ensino médio, pois é o da faculdade que conta. Veja o depoimento delas.

Você tem que fazer o intercâmbio mais voltado para a área que você quer, com as matérias que vão te ajudar na sua carreira. Se você não tem inglês, você já é cortado imediatamente do processo. O espanhol é requerido, mas não chega a ser essencial e a terceira língua se torna diferencial se tiver relação com a empresa”
Alexia Pinheiro Cabral
Na minha entrevista de estágio, o meu chefe falava hebraico e me testou. Eu consegui o meu emprego na hora que ele me perguntou em hebraico e eu respondi para ele”
Thais Buchpigel
Tem vários motivos para se estudar fora: desenvolvimento profissional, pessoal e essa questão da crise é um ponto crítico, que faz a gente pensar duas vezes em ver os outros países como opção”
Esther Fuentes
Todo mundo indo para fora e vendo essas novas ideias criatividade abrindo seus horizontes. A gente consegue trazer coisas legais para o Brasil também
Julie Damame

O CEO da Catho, Eduardo Thuler, participou de um bate-papo aqui no site do JH e respondeu dúvidas sobre intercâmbio e carreiras. Veja no vídeo acima.

Fonte: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2015/12/intercambio-ajuda-na-carreira-e-no-desenvolvimento-de-habilidades.html

Deixe uma resposta