Obama venceu o segundo debate, de acordo com pesquisa da CNN

Pesquisa feita pela emissora de norte-americana CNN, após o debate, mostra que Barack Obama venceu a disputa desta terça-feira. Após uma postura muito criticada no encontro do dia 3 de outubro, o atual presidente adotou uma postura mais enfática, segundo Rodrigo Cintra, coordenador do curso de relações internacionais da ESPM.

Veja a entrevista concedida à ancora Carolina Facchina, na íntegra.


http://bandnewstv.band.uol.com.br/noticias/conteudo.asp?ID=625834&tc=mundo-obcmc-venceu-o-segundo-debcte-de-ccordo-com-pesquisc-dc-cnn

Porque não quero ser deputado

Em 2006 Jaqueline Roriz foi gravada recebendo dinheiro de corrupção do esquema que ficou conhecido por “mensalão do DEM”, em Brasília. O vídeo que revela a ação foi divulgada apenas no começo de 2011, quando então Jaqueline Roriz já era deputada federal.

Diante disto, foi pedido ao Conselho de Ética (sic!!!) da Câmara a abertura de investigação, tendo por resultado a indicação de cassação da parlamentar por 11 deputados, contra 3 que a defenderam. Em seguida o processo foi encaminhado à Plenária. Dia 30 de agosto a Câmara dos Deputados do Brasil absolveu a deputada.

Continuar lendo

Entrevista com Rodrigo Cintra, CEO da Focus RI

O chefe do Departamento de Relações Internacionais & Country Studies da ESPM-SP e CEO da Focus RI, empresa de consultoria e assessoria em relações internacionais, Rodrigo Cintra, em entrevista ao Portal Mundo RI, falou sobre Internacionalização de Empresas, tema do curso que ministrará nos dias 23 e 24 de julho.

O próximo evento do Cursos Mundo RI ainda está com vagas abertas, para maiores informações acesse,
Cursos Mundo RI.

Apesar dos inúmeros incentivos à internacionalização de pequenas e médias empresas, tais como linhas de crédito específicas do BNDES, programas do SEBRAE, Projetos do Governo Federal e Governos Estaduais, falta preparo por parte dos empresários para conduzir com eficácia o processo de internacionalização, afirma Cintra, que também descreveu o perfil da empresas que começam a buscar sua inserção internacional.

MundoRI – Qual razão do foco do curso nas pequenas e médias empresas?

Cintra – As grandes empresas geralmente apresentam uma atuação mundial, com divisão dos mercados internacionais entre diversas plantas. No caso das pequenas e médias, a atuação internacional apresenta outros tipos de desafios. A prospecção dos mercados e as estratégias possíveis de entrada são diferentes. A realidade das pequenas e médias empresas é de escassez de recursos para investimentos em abertura de mercados internacionais, e isso deve ser considerado.

MundoRI – Considerando que a boa fase econômica vivida pelo brasil se deve, em grande parte, ao mercado interno, por que internacionalizar?

Cintra – Internacionalizar uma empresa é mais do que abrir novos mercados (ainda que este objetivo também deva ser considerado). A presença em mercados mundiais permite à empresa aprimorar seus processos produtivos, ganhar escala, ter contato com concorrentes e novas tendências, entre outras.

MundoRI – Os empresários brasileiros já entendem essa necessidade? E estão preparados para os desafios da internacionalização?

Cintra – Em geral o que se percebe é que os empresários já entenderam a necessidade de internacionalização, porém ainda não sabem como fazer isso. De coisas mais simples como dominar línguas estrangeiras (como inglês e espanhol) a outras mais complexas como os padrões de negociação e os modelos possíveis de internacionalização ainda carecem de mais atenção.

MundoRI – Quais as maiores dificuldades?

Cintra -Talvez uma das maiores dificuldades num processo de internacionalização é o processo de comunicação. Entender o que efetivamente a outra parte quer. Nós tendemos a projetar nossa visão do negócio para o nível internacional, replicando a experiência (geralmente bem sucedida) que temos no Brasil, e não conseguimos entender porque ela não funciona. Cada cultura tem um padrão de negociação, de compreensão do negócio. É preciso entender essa questão para que se possa pensar se efetivamente estamos olhando para o melhor mercado.

MundoRI – Qual a importância de um profissional especializado nesta área?

Cintra – O profissional qualificado é capaz de desenvolver uma estratégia de inserção internacional que efetivamente seja viável. Internacionalizar não é vender para fora do Brasil. O tempo da negociação, do negócio em si, é maior. Existem várias estratégias possíveis que variam em dois eixos: tempo de retorno e risco. O mercado internacional apresenta lógicas nesses eixos que são muito diferentes das encontradas no mercado brasileiro. Nem sempre um bom estrategista comercial brasileiro será um bom profissional na hora de internacionalizar uma empresa. 

MundoRI – Qual o perfil das empresas brasileiras que já cuidam de sua inserção no mercado global?

Cintra – Em geral são as empresas de grande porte. As pequenas e médias empresas ainda estão no começo. Mas só se preocupam com as vendas. Marca, contato com consumidor, compreensão de tendências internacionais são algumas das coisas que deverão ser cuidadas, de outra maneira, é muito difícil se manter no mercado internacional sem uma crescente deterioração das condições comerciais. 

MundoRI – Empresas de quais setores estão buscando a internacionalização?

Cintra -No caso das pequenas e médias empresas, o que se vê é que aquelas que produzem produtos específicos, bem “brasileiros” são as primeiras a se aventurarem no mercado internacional. As demais costumam ter medo da concorrência. É a idéia de que os chineses fazem mais barato que nós. Mas há condição para empresas de manufaturados também buscarem o mercado internacional, o que é necessário é uma boa estratégia. Algumas empresas de serviços começam também a se envolver com a internacionalização.

Rodrigo Cintra é CEO da Focus RI e Chefe do Departamento de Relações Internacionais & Country Studies da ESPM-SP. Doutor em Relações Internacionais pela UNB e Pós-Doutor em indústrias Criativas e Competitividade Territorial pelo Instituto Universitário de Lisboa, é também membro do conselho consultivo da Câmara de Comércio Argentino Brasileira, onde foi Vice-Presidente da Diretoria Executiva no triênio 2004-2006 e Diretor de Pesquisa no triênio 2001-2003.

Fonte: http://mundori.com/home/view.asp?paNoticia=2223 (13/7/2011)

Curso de Internacionalização de Empresas

Promoção MundoRI

Cidade: São Paulo
Local: La Residence Paulista – Alameda Jaú, 1606 – Jardins – Próximo ao Metrô Consolação.
Data: 23 e 24 de julho de 2011
Horário: 09h00 às 17h00

Investimento:
À vista: (com 10% Desconto) – 1 x R$649,00
-Parcelado 2x: (com 5% Desconto) – 2 x R$342,50

Forma de pagamento: 
– Boleto bancário

Descritivo
O Curso de Internacionalização de Empresas visa capacitar pessoas e empresas nas técnicas e práticas da negociação internacional privada.

Objetivo
Apresentar aos participantes os principais elementos que devem ser considerados na construção de uma estratégia de internacionalização de pequenas e médias empresas (marketing, estruturas empresariais, acesso a mercados). Discutir e identificar as estratégias de internacionalização mais adequadas a cada tipo de empresa (estratégias, modalidades e canais).

Programação
Internacionalização de Empresas
Carga horária: 16 horas-aula

i) Marketing internacional
– Conceitos e definições (mercado-alvo ; consumidor; satisfação)

ii) Estrutura de marketing
– Cadeias de valor
– Atração de clientes
– Marca 

iii) Base para internacionalização
– Padronização e adaptação
– Estratégias (competitiva, crescimento) 

iv) Estratégias de internacionalização
– Seleção de mercados
– Análise de risco
– Recursos 

v) Estratégias comerciais internacionais
– Marcas
– Sistemas de vendas 

vi) Modalidades de exportação
– Exportação direta e indireta
– Trading 

vii) Canais de inserção mercadológica internacional
– Canais de distribuição
– Agenciamento
– Outras modalidades 

viii) Formação de preços para exportação
– Custos incidentes
– Estruturação do preço

ix) Estudo de Casos

COORDENADOR
Prof. Dr. Rodrigo Cintra é graduado em Relações Internacionais pela PUC – SP (1998), mestre em Ciência Política pela USP (2001), doutor em Relações Internacionais pela UNB (2007) e pós-doutor em Indústrias Criativas e Competitividade Territorial pelo ISCTE, Lisboa/Portugal.

Atualmente é chefe do Departamento de Relações Internacionais & Country Studies da ESPM –SP. É CEO da Focus R. I. ” Assessoria & Consultoria em Relações Internacionais”, Membro do Conselho Consultivo , ex-Vice Presidente e ex-Diretor de Pesquisas da Câmara de Comércio Argentino-Brasileira de São Paulo.

CERTIFICADO
Será concedido certificado emitido pelo Cursos MundoRI para os participantes que tiverem no mínimo 80% de presença no decorrer do curso.

CONTATO
Cursos MundoRI
Telefones: (11) 3711-4158 / (11) 2615-8180 / (11) 3081-4553 – das 9h às 18h
inscricoes@mundori.com

Observações:

1.0 Na falta de ‘quorum’ na opção escolhida o participante poderá optar por outros horários e cursos disponíveis ou a restituição integral do valor pago;
2.0 Em caso de desistência por qualquer motivo o participante deverá comunicar por escrito à Coordenação do Curso;

3.0 Cancelamento
3.1 Pelo Cursos MundoRI, será devolvido 100% do valor pago. Avisaremos do cancelamento com 48 horas de antecedência da data prevista para início do curso. O reembolso será creditado em cinco dias úteis;
3.2 Pelo PARTICIPANTE, será devolvido 80% do valor pago. O cancelamento deverá ser solicitado por e-mail ou telefone, com 72 horas de antecedência do início do curso. Depois deste prazo não haverá devolução do valor pago. O reembolso será creditado em cinco dias úteis;
3.3 O Cursos MundoRI não se responsabiliza pelo reembolso de valores de passagens aéreas e outro tipo de locomoção dos alunos/participantes.

 

http://mundori.com/home/view.asp?paNoticia=2083

 

O Brasil não está pronto

Nas últimas semanas, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução que permite a realização de ataques aéreos contra as forças de Muamar Kadhafi, ditador da Líbia. Já havia certa expectativa com relação à resolução,mas o que chama a atenção é a posição que o Brasil adotou: se absteve. Com frágil argumentação, o país mostra que não tema posição esperada para um membro efetivo do Conselho de Segurança. Continuar lendo

20 anos do Mercosul

CNT JORNAL (SP) • REPORTAGEM • 28/3/2011 • 22:00:00 • CNT

Comércio entre países do Mercosul cresceu muito, mas o bloco ainda precisa avançar em outras áreas

Vendas brasileiras para o Mercosul cresceram mais do que a média das nossas exportações nos últimos 20 anos. Em 2010 somaram U$S 22 bilhões, sucesso no setor econômico que não se repete em outras áreas do bloco.