Quando o comércio cala a ética

O presidente brasileiro, Lula, recebeu uma visita do presidente Islam Abdiganivevich Karimov, do Uzbequistão. A visita em si não trás grandes novidades, sendo algo que faz parte do cotidiano do mundo diplomático. No entanto, uma análise do entorno do encontro, bem como de seus preparativos, mostra uma tendência contemporânea cada vez mais forte e “normal”: desde que o objetivo seja ampliar o comércio mundial, tudo o mais é relevado.

Continuar lendo

Geithner na China: entre o curto e o longo prazo

Timothy F. Geithner, Secretário do Tesouro dos Estados Unidos, tem o desafio de encaminhar uma das mais importantes incertezas na economia norte-america: irá a China continuar a financiar o déficit comercial dos EUA, comprando seus títulos de dívida externa? O tema é tão delicado que Geinthner irá, pessoalmente, conversar sobre este tema com o alto escalão do governo chinês, o que inclui o próprio presidente da China.

Continuar lendo

G20: um passo adiante ou a legitimação do mesmo?

No dia 2 de abril último, representantes das 20 maiores potências econômicas mundiais se reuniram em Londres para debater a atual crise econômico-financeira, bem como as possíveis ações a serem seguidas para acabar com a mesma. Esta reunião significa uma mudança qualitativa no sistema internacional, que passará a ter suas questões encaminhadas por grandes diálogos, ou é apenas sinal de um mundo que está tão perdido quanto esteve no final da Guerra Fria?

Continuar lendo

Inação européia e risco de aprofundamento da crise

A atual crise econômico-financeira já mostrou muito de seus impactos e indica um futuro bastante desanimador. Muito de suas causas já foram identificadas e vários planos para que haja uma tentativa de diminuição de seus impactos negativos já foram desenhados. A grande questão é se todos os governos estão efetivamente preparados para atuar com a profundidade e a envergadura necessária. Aparentemente não. Continuar lendo

Ásia: uma saída de curto-prazo para a crise?

A crise econômico-financeira ainda não mostrou sua real dimensão no Brasil e ainda há um pouco de esperança que ela afete menos o país do que tem afetado o resto do mundo. No entanto, ao acompanhar o que ocorre nas principais economias mundiais, o cenário que surge exige cuidado e, sobretudo, a necessidade de se preparar para momentos mais turbulentos para o comércio mundial. Continuar lendo